Foi confirmado na segunda-feira (13) um foco de raiva animal em um sítio na região de Theobroma (RO) na divisa com Vale do Anari (RO).

De acordo com a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado e Rondônia (Idaron), a equipe que atendeu a ocorrência no sítio constatou que na propriedade havia um bezerro macho de seis meses com sinais de: fraqueza, mucosas hipocoradas (baixa pigmentação), anorexia, letargia, diarreia esverdeada e quedas frequentes.

O produtor rural foi orientado a separar esse bezerro do resto do rebanho. Mas ele não era um caso isolado. O produtor relatou à equipe “Que não faz muito tempo, quatro bezerros de idade semelhante morreram depois de apresentarem os mesmos sintomas” informaram os técnicos do Idaron.

Todas propriedades rurais no raio de 12 quilômetros do foco serão inspecionadas.

O transmissor da raiva animal é o morcego hematófago, que se alimenta de sangue. Para prevenir novos casos, a Idaron montou um esquema para visitar propriedades rurais da região onde foi detectado o foco, realizando ações sanitárias, como:

  • coleta de material de animais suspeitos,
  • notificação das propriedades localizadas em um raio de até 12 quilômetros da área focal,
  • e nessas áreas fazer a vacinação de bovídeos, equídeos, caprinos e ovinos, em um prazo de 30 dias,
  • também serão investigados possíveis abrigos de morcegos hematófagos.

A agência disse ainda que a Secretaria Municipal de Saúde de Theobroma foi informada da ocorrência do foco para rastrear as pessoas que tiveram contato com os animais infectados.

Quem transmite essa doença?

O principal transmissor são os morcegos hematófagos (que se alimentam de sangue) que, ao morderem as criações, transmitem o vírus presente em sua saliva, levando o animal a morte.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o rebanho da doença é a vacina. Ela deve ser aplicada uma vez ao ano, mas, em caso de primeira vacinação, é necessário o animal tomar um reforço após 30 dias. O produtor deve declarar a vacinação contra a raiva, no escritório da Idaron, levando a nota fiscal da compra da vacina e a relação dos animais vacinados. Outras formas são:

  • vacinação dos animais de estimação,
  • evitar contato com animais que você não conhece,
  • nunca tocar em animais silvestres,
  • prevenir que morcegos entrem nas casas.

 

Caso tenha sido atacado por algum animal, o paciente precisa limpar o ferimento com água corrente e sabão e precisa procurar atendimento médico o mais rápido possível.

 

Com informações do JaruOnline